Suicídio - Entendendo

 

  Falando um pouco de suicídio, que está intimamente ligado á depressão, temos:
 

"Uma das causas de suicídio é o indivíduo se achar impotente e fraco para enfrentar suas dificuldades. Ele se julga inferior, incapaz, vítima da sociedade, desprezando a força que tem. Aí os problemas passam uma dimensão muito maior, e ele se vê impossibilitado para resolvê-los."

Segundo esta linha de raciocínio, não existe pessoa "fraca" a ponto de não suportar um problema, que ela julga, de certa forma, demasiado para si. O que de fato ocorre é que esta criatura não teve força de mobilizar a sua vontade própria para enfrentar aquele desafio. Preferiu fugir, acreditando poder se libertar daquela situação. Só que não irá conseguir, pois a morte é apenas uma mudança de estado. A pessoa continua sendo a mesma, com os mesmos sentimentos e os mesmos problemas.

O mais grave é que o suicida acarreta danos ao seu perispírito. Quando reencarnar, além de enfrentar os velhos problemas ainda não solucionados, terá acrescido a necessidade de reajustar a sua lesão perispiritual.

Sabemos que a Terra não é lugar só de alegrias, pois encontramos aflições e lágrimas por todos os cantos e, por causa disso, muitas vezes, um sentimento de pesar toma conta de nossos pensamentos, e nos deixamos envolver na atmosfera de iniqüidade que nos rodeia, pela violência sem sentido, pela falta de respeito com a vida.

 

Todavia, quando esse sentimento se fizer sentir em nossos corações, lembremo-nos de Jesus.

 

Lembremos que a cada um será dado conforme suas obras e que cabe a nós, a cada um de nós, a construção de um planeta melhor, com mais amor, com mais fraternidade e mais tolerância de uns para com os outros.

 

Estaremos, certamente, espantando de nossas mentes essas imagens desequilibrantes que desarmonizam nossa alma e nos fazem valorizar o que precisa e deve ser combatido com fé e com amor, através de pensamentos construtivos no bem.
 

Muito embora queiramos analisar apenas pela ótica da matéria, precisamos ressaltar aos irmãos em Cristo:

A ilusão do suicida é de que, com a extinção do corpo, cessam problemas e dores, mas a palavra de André Luiz, revestida da melhor essência doutrinária, informa que sai ele do sofrimento, para entrar na tortura...

Se pudessem os homens levantar uma nesga da Vida Espiritual e olhar, à distância, as cenas de torturante sofrimento a que são submetidos os suicidas, diminuiriam, por certo, as estatísticas, mesmo nos mais conturbados e infelizes continentes.

O Espiritismo, descortinando tais horizontes, dizendo aos homens que a vida é patrimônio de Deus, que lhes não cabe destruir, cumprirá na Terra sua augusta missão de acabar com os suicídios.

E todos irão me perguntar: mas como o espiritismo fará isso??? Eis que vem, nosso último tópico: a Benevolência Divina - a vinda de Jesus.

Emmanuel e Chico nos alertam:

Reflete na Benevolência Divina para que a tua passagem na Terra não se transforme em agressivo espinheiro de ironia e desilusão.

 

Esta introdução serve para que possamos refletir nos textos abaixo relacionados.

 

São textos que abordam o suicídio e o o suicida em potencial, pela ótica médica, psicológica, da sociedade e espírita.

 

Acreditamos ser este um assunto muito delicado, mas de suma importância em nossos dias, principalmente quando podemos, através da Consoladora Doutrina Espírita, ter conhecimento do que se processa no âmbito pós morte e suas conseqüências tão profundas, oriundas de um gesto totalmente contrário ás leis de Deus.

 

Seja a paz do Mestre a nos envolver e amparar nestas leituras e conjecturas.

 

E, o que estiver ao nosso alcance, por favor, não deixem de solicitar.

 

Fiorella Romana

Trecho dos estudos Depressão e Suicídio

 

 
 
   

                  

Copyright © 2008
Momento Fraterno - Grupo Sob a Ótica Espírita
Todos os direitos reservados
Webdesigner: Ieda Maria e La Romana
e-mail de contato: Momento Fraterno
Atualizado em: 03/02/2013